Postagens do blog

O que é?

A medula óssea é composta por um tecido gelatinoso ou semilíquido que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecido popularmente por ‘tutano”. Nele são produzidos os glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas. É encontrado mais abundantemente nos ossos da bacia e da tíbia.

Quem necessita?

Pessoas que tem doenças que comprometem a produção do sangue pela medula, como leucemias, aplasia de medula óssea e crianças com algumas doenças genéticas.

O que acontece…

Se não existe um doador compatível entre familiares do paciente?  

Procura-se um doador compatível em um registro de doadores de medula óssea. O registro necessita de um número elevado de voluntários para que os pacientes tenham chance de encontrar um doador compatível.

Se um doador…

Compatível é encontrado, qual o procedimento? O doador é convocado e um exame de sangue mais detalhado é realizado. Dificilmente haverá mais de uma pessoa compatível com o doador, no entanto se for necessário, você poderá doar outras vezes, pois a medula se regenera rapidamente.

Por que se registrar é importante?

Para o paciente, você pode representar a única possibilidade de cura. E quanto mais doadores registrados, maior a chance de encontrar um doador compatível.

Quais os riscos?

Doar medula óssea é seguro, nunca houve nenhum acidente grave com o doador. E as células doadas se refazem rapidamente, como na doação de sangue.

Quem pode doar medula óssea?

Qualquer pessoa que estiver em bom estado de saúde. Não é necessário ter peso, nem são excluídos os doadores com antecedentes de doenças infecciosas. São excluídos apenas os portadores de doenças oncológicas. 

Como a medula é removida?

Existem duas formas de doar medula: uma por punção direta da medula óssea e outra por coleta e separação de células-mãe que passam pelas veias (aférese). A punção direta da medula é realizada em centro cirúrgico, com agulha, na região da nádega e retira-se uma quantidade de “tutano” (medula) equivalente a uma bolsa de sangue. Para que o doador não sinta dor, é realizada anestesia e o procedimento dura 40 minutos. O doador fica em observação por um dia e pode retomar suas atividades no dia seguinte. A sensação do doador é de que recebeu uma injeção oleosa, não fica cicatriz, apenas a marca de 3 a 5 furos de agulhas.

Como decidir…

Sobre a forma de doação? Se houver compatibilidade, o doador será avaliado por um clínico para certificar seu bom estado de saúde. O médico informará qual a forma de doação que mais beneficiará o paciente em questão. A coleta será realizada no centro de transplante mais próximo.

Como os pacientes…

Recebem a Medula Óssea? Depois de um tratamento que destrói a própria medula, o paciente recebe a nova medula por meio de transfusão. Em duas semanas, a medula transplantada já estará produzindo células novas.

O único risco para o doador é o de se submeter a uma anestesia. A coleta pela veia é realizada pela máquina de aférese. O doador recebe um medicamento por cinco dias que estimula a proliferação das células-mãe, que migram da medula óssea para as veias e são coletadas. O processo de aférese dura em média 4 horas, até que se obtenha o número adequado de células.

Você sabia?

Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as medulas do doador e do receptor.

A chance de encontrar uma medula compatível pode chegar a um em 100 mil.

Por isso, estão sendo organizados Bancos de Doadores de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante, esse cadastro é consultado. Caso seja encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.

O doador permanecerá no REDOME até completar 55 anos de idade. Este cadastro é feito uma única vez, portanto a importância de mantê-lo atualizado.

Procedimentos:

  1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado de saúde;
  2. Doar uma pequena quantidade de sangue (cinco ml) para o teste de compatibilidade (HLA);
  3. Fornecer sua identidade e endereço;
  4. Seus dados, juntamente com o resultado do exame de HLA serão colocados no banco de dados;
  5. Quando aparecer um paciente, a compatibilidade é verificada;
  6. Se o doador for compatível, outros testes sanguíneos serão necessários;
  7. Se a sua compatibilidade for confirmada, você será consultado para decidir sobre a doação;
  8. Se você optar pela doação, receberá maiores informações e será avaliado por um clínico.

Fonte: Hemocentro Regional de Londrina

Informações: 3371 2218 e 3371 2356

www.uel.br/hu/hemocentro/

Desenvolvido por VRSys Sistemas