Postagens do blog

No dia 26 de junho é comemorado o Dia do Consultor. Mas, antes de citar a importância desse profissional nas organizações, é relevante entender como surgiu a atividade de consultoria e qual sua função na empresa.


De acordo com Wikipédia (2016) a história da consultoria começou com registros antropológicos que definem como traço comum às sociedades humanas o surgimento de indivíduos adotados como guias, que aconselhavam suas comunidades em todas as questões, desde relacionamentos, até ações para caça ou a guerra, inclusive aspectos da saúde física e psicológica. Além disso, os sacerdotes também proviam consultorias embasadas nas observações sistemáticas e inteligentes dos fenômenos naturais, surgindo assim os primeiros filósofos e o ideal da busca do conhecimento e do entendimento racional do mundo e da própria humanidade através da ciência.
No entanto, foi somente no início do século XX que a consultoria passou a ganhar os moldes. Especialmente nas décadas de 40 e 50 nos Estados Unidos e na Europa Ocidental ocorreram importantes avanços na sistematização do trabalho de consultoria, com vinculação eminentemente técnica e científica aliada à experiência e fundamentada em teorias, mas sempre com foco nas soluções práticas (WIKIPEDIA, 2016).
Já segundo Hansen (1990, apud ALBERTON; MANCIA; BORBA, 2009, p.5), na área organizacional, a atividade de consultoria teve seu início nos países com economias de livre comércio, mais especificamente em empresas privadas de países industrializados e nos países em desenvolvimento, apesar de mais recente, a atividade de consultoria tem uma tendência a incrementar cada vez mais a utilização de consultores. A utilização da atividade de consultoria em empresas privadas foi, posteriormente, ampliada às empresas públicas e também aos países que eram geridos por economias socialistas com planejamento central.
Devido à grande importância da consultoria no ciclo organizacional das empresas, surge a figura do consultor, que segundo Block (1991, p.2, apud ALBERTON; MANCIA; BORBA, 2009, p.5) define: “o Consultor é uma pessoa que por sua habilidade, postura e posição, têm poder de influência sobre pessoas, grupos e organizações, mas não tem poder direto para produzir mudanças ou programas de implementação”.
Deste modo, Alberton, Mancia e Borba (2009, p.5) complementam que, o consultor deve prestar consultoria e não assumir uma posição de gerência. Além disso, é necessário que o consultor entenda qual seu papel dentro da organização, que é o de oferecer caminhos, sendo que, a decisão final seja tomada somente pelo cliente. Portanto, a atividade de consultoria, além de ser uma relação de ajuda envolvendo pessoas especializadas na resolução de problemas, pressupõe que haja uma relação de parceria entre consultor e cliente, cujo resultado está diretamente relacionado ao nível de comprometimento de ambas as partes.

Referências:
ALBERTON, Diego Marocco; MANCIA, Lidia Tassini; BORBA, Paula Martyl de. O papel do consultor interno de recursos humanos. EnANPAD. São Paulo. 2009. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2016.
WIKIPEDIA. Consultoria. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2016.

Desenvolvido por VRSys Sistemas